A cooptação dos Municípios

A cooptação de Municípios pode ser verificada por dois mecanismos distintos: um de efetivo controle administrativo, quando os prefeitos eram indicados pelos governadores com a assunção do governo federal, e outro de controle econômico, por meio de recursos liberados discricionariamente.

A patronagem sobre os Municípios do interior foi, segundo Abrucio (1998), a base do modelo unionista-autoritário empreendido pelo regime militar. Esse modelo se caracterizou pela compatibilização “entre a ideologia tecnocrática-centralizadora e até antipolítica presente na elite civil e militar do regime militar com a busca de legitimação pela via eleitoral [municipal]” (ABRUCIO, 1998, p.64).