Teixeira de Freitas

Teixeira de Freitas foi secretário-geral do Conselho Nacional de Estatística e do IBGE por 12 anos (1936-1948). Por meio dessa instituição, foi uma das figuras mais relevantes da Campanha Municipalista (SANTOS, 2008, p. 13), defendendo a valorização das entidades locais, célula básica da organização nacional em sua visão. Seu pensamento partia da premissa de que os centros urbanos operavam como mecanismos perversos – “formas tentaculares de vampirismo” (TEIXEIRA DE FREITAS, 1948a, p. 86) – de sucção das energias dos Municípios pequenos e médios, cujo objetivo era “manter o predomínio, e satisfazer as exigências de conforto, da insignificante minoria que conforma a elite dirigente” (TEIXEIRA DE FREITAS, 1948a, p. 86).