Rafael Xavier

Xavier foi o sucessor de Teixeira Freitas como secretário-geral do Conselho Nacional de Estatística, entre 1948 e 1951. Chegou à presidência do IBGE em 1961. Foi o fundador da Campanha Municipalista em meados dos anos 1930 (ARAÚJO, 2005) e foi o primeiro presidente da Associação Brasileira de Municípios (ABM).

Ele defendia que a grande miséria dos Munícipios radicava na ausência de recursos para gerir seus assuntos, o que os fez reféns dos Estados. A falta de renda para executar obras fundamentais estava na base do processo de evasão demográfica: “carecem os municípios de recursos capazes de manter fixados ao solo os seus filhos” (XAVIER, 1948a, p. 306). A solução para evitar essa injustiça, “e ponto de partida para todo o esforço de salvação nacional”, reside na atribuição aos Municípios de uma proporção maior da renda pública “através de uma sábia política de descentralização administrativa” (Xavier, 1948, p. 307).